Os norte­americanos não consomem tanto atum como em outras partes do mundo , mas em geral, podemos dizer que é um alimento bastante consumido nos Estados Unidos, perdendo apenas para o camarão, quando falamos de frutos do mar.

Talvez isso seja pelo fato de ser um alimento que contém boas quantidades de proteína e ácidos graxos poli­insaturados, benéficos para a saúde. Ou talvez pelo fato de ser uma comida saborosa e muito prática de preparar: basta abrir uma latinha e consumir.

Seja qual for a razão, especialistas acreditam que o atum não é um alimento tão saudável quanto imaginamos.

O grande culpado dessa fama ruim é o mercúrio, um metal pesado tóxico que é encontrado naturalmente no ar, água e solo.

O mercúrio é liberado no meio ambiente de várias formas, principalmente através da queima do carvão em usinas de energia e em processos industriais, ou até naturalmente, como no caso dos vulcões.

Conforme somos expostos ao mercúrio, seja pelo ar ou pelo consumo de peixes contaminados, tendemos a concentrar esse metal pesado em nosso organismo, em sua forma orgânica, conhecida como metilmercúrio.

Altas quantidades de metilmercúrio podem ser prejudiciais e até tóxicas, além de poderem ocasionar problemas graves de saúde e sintomas como:

Nervosismo, ansiedade, irritabilidade; Apatia ou agressividade, confusão mental; Insônia, pesadelos frequentes; Esquecimentos e lapsos de memória; Dor de cabeça e nos músculos; ­Tontura, delírio; Dentes fracos e quebradiços.

Estudos apontam associações entre os altos níveis de mercúrio e problemas neurológicos, além de doença de Alzheimer, o autismo, a ansiedade, a depressão e Parkinson.

Quase todos os peixes e frutos do mar contêm mercúrio, mas espécies maiores como os tubarões, peixes­espada, cavala e atum, que são predadoras, tendem a acumular mais dessa substância. Peixes como o atum, comem os peixes menores, que também absorveram mercúrio. Ou seja, quanto mais peixes ele come, mais absorve mercúrio.

Embora haja um grande debate acerca do assunto, muitos órgãos de saúde recomendam o consumo de peixes como o atum em moderação. As pessoas que estão em maior risco de serem afetadas pela contaminação por mercúrio são as mulheres grávidas, bebês e crianças.

Se você gosta de consumir frutos do mar, prefira os que possuem quantidades menores de mercúrio como o arenque, bacalhau, camarão, lagosta, ostra, salmão e sardinha.

Ajude seus amigos, compartilhe saúde!